A previsão de ações futuras de um empreendimento é muito importante. Somente assim é possível realizar um planejamento estratégico, saber a hora certa de arriscar e, principalmente, se preparar para possíveis imprevistos sem perder o controle.

Um empreendedor de sucesso sabe que é preciso se antecipar para sair na frente, e existem práticas que conseguem garantir a ação. A previsão de demanda é uma delas!

Extremamente necessária em qualquer negócio, suas prioridades estão direcionadas em estratégias que garantem o sucesso da empresa a partir de um ponto primordial: o controle de estoque.

Quer saber a relação entre esses dois termos? Descubra no nosso post de hoje!  

O que é exatamente a previsão de demanda?

A previsão de demanda é uma projeção de como as vendas da empresa vão caminhar em um futuro período de tempo, ou seja, são aquelas medidas que ajudam o proprietário a se programar em relação a diversos pontos que podem alavancar a situação financeira do negócio ou estagná-la por completo.

Existem duas maneiras de realizar a previsão de estoque: a maneira quantitativa e a qualitativa. A primeira diz respeito a usos matemáticos que conseguem prever a demanda a partir do cálculo de padrões já existentes e do histórico da empresa. São valores sugestivos e sistemáticos. Já a segunda é realizada com análises mais teóricas do futuro — como a previsão de mercado, por exemplo.

Existem diversos programas e softwares que auxiliam no processo, porém muitas pessoas acabam desanimando por imaginarem que a tarefa é extremamente complicada. Não precisa ser assim! Ao compreender a relação entre previsão de demanda e controle de estoque e aplicar as boas práticas na realidade da empresa, já é possível perceber resultados em um curto espaço de tempo.

Qual é a relação entre previsão de demanda e controle de estoque?

A previsão de demanda está completamente relacionada com as práticas que envolvem o controle de estoque. Isso acontece porque é a partir da previsão que é possível calcular a quantidade necessária de estoque a ser produzido para a época em questão. É ela, também, que consegue pautar todos os outros processos da empresa.

Pense que seu produto final é o indicador principal do sucesso ou do fracasso da empresa. Se existe muita demanda, significa que o negócio vai bem. Se existe pouca, nem tanto. Ou seja: a partir da previsão de demanda, é possível analisar a viabilidade de todas as outras necessidades que alimentam o empreendimento. Por exemplo:

  • possibilidade de contratar ou dispensar funcionários;

  • análise da quantidade de mão de obra que será necessária;

  • panorama operacional completo;

  • saber a hora de cortar ou de incentivar gastos.

Quais são as boas práticas para aplicar a previsão no dia a dia?

Para que a previsão de demanda realmente esteja em harmonia com o controle de estoque da sua empresa, algumas práticas devem ser seguidas. Elas são completamente acessíveis e se encaixam perfeitamente na realidade de seu negócio — seja ele pequeno, médio ou grande!

Listamos abaixo as principais medidas para que você lembre que é possível crescer (e muito) adotando uma boa previsão de demanda. Veja só!

Entenda bem a realidade do seu negócio

Existem fatores externos que podem ajudar ou prejudicar o seu negócio? Por exemplo: se você trabalha com o mercado de botas, é possível que no verão as vendas caiam um pouco. Caso venda biquínis, acontece o contrário.

Cada negócio possui uma realidade específica, e ela é completamente pautada a partir do produto que é vendido. É necessário, então, analisar por completo quais são os fatores externos que terão poder suficiente de modificar consideravelmente os números que envolvem as vendas.

Sabendo a hora certa de vender, é possível saber ao certo quando produzir!

Realize um panorama anual

Você já parou para pensar que, muitas vezes, alguma data comemorativa pode ter influência direta nas vendas do empreendimento? Elas funcionam da mesma forma que o calor ou o frio, por exemplo.

Atuando no varejo, é possível destacar aquelas épocas do ano no qual as vendas sofrem aumento (e diminuição, também). Por exemplo: no Natal, as vendas tendem a aumentar muito, então é bom se preparar!

Porém, logo após, nos primeiros meses que sucedem o mês de dezembro, não é comum haver muita procura. Essa é a época do ano em que você não deve focar na produção de estoque. Muito pelo contrário! É justamente neste período do ano que uma grande quantidade de produtos acaba se acumulando nos estoques, sendo necessária a realização de grandes promoções.

Separe este momento para focar na criação e no planejamento de modelos para o ano que está chegando, não para produzir desenfreadamente. Possuir controle anual é importante também para direcionar e segmentar ainda mais a oferta de produtos — Dia dos Namorados, Dia das Mães, Dia dos Pais e assim por diante.

Todos esses feriados possuem características diferentes e, caso seja realizada uma boa previsão de demanda e, segmentando a oferta a partir de cada data, é possível alavancar as vendas, gerar mais lucro e, principalmente, não acumular estoque após a passagem dessas datas comemorativas.

Fique de olho no mercado

Na situação atual no qual a economia se encontra, tente mais do que nunca analisar ao máximo o mercado: quais são as projeções econômicas para o próximo mês? A economia vai bem, ou a inflação está barrando os hábitos de consumo da população?

Esse ponto em questão é gravíssimo, pois imagine a seguinte situação:

Quando a inflação atinge números preocupantes, você, enquanto empreendedor, é obrigado a aumentar o valor do produto ofertado para não ter prejuízo. Este aumento causa, sem sombra de dúvidas, um grande impacto nas vendas. As pessoas vão parar de comprar, gerando acúmulo de estoque e, consequentemente, dinheiro desperdiçado e prejuízo.

Caso essa fosse uma situação real e você não tivesse realizado a previsão, além de não vender já por causa da inflação, perceberia que existe uma quantidade gigantesca de produtos estagnados, gerando prejuízo em dobro e um aparente beco sem saída.

A análise de mercado também diz respeito à concorrência. Fique de olho naquilo que seus concorrentes estão fazendo, pois é possível encontrar grandes oportunidades no meio dessa prática. Por exemplo: eles estão vendendo um produto X por R$ 50,00.

Naquele momento, você precisa se livrar do estoque acumulado, então já pensou em abaixar o preço em R$ 10,00? Se a possibilidade for viável perante a realidade da empresa, tenha certeza que suas vendas vão aumentar. O mesmo acontece no cenário oposto: você percebe que seu produto está sendo vendido por um valor muito maior do que o da concorrência.

Qual é o motivo disso? Realize uma análise e, a partir dela, é possível melhorar a precificação para que em um próximo período de tempo, você possua uma maior e mais positiva projeção das vendas.

Outra forma de ganhar dinheiro e alavancar as vendas é investindo em um marketplace! Você sabe o que é? Desenvolvemos um material completo que destaca as maiores vantagens de adotar a prática no dia a dia de seu negócio!