Qual é o perfil do consumidor contemporâneo? Uma das fotografias mais caras do mundo dá uma pista. A foto 99 Cents II, do alemão Andreas Gursky, mostra prateleiras de um supermercado abarrotadas com diversos produtos de embalagens multicoloridas. Só por essa imagem, já é possível perceber: opções definitivamente não faltam no varejo!

Com tantos produtos à disposição, o que é capaz de convencer o consumidor de que a sua marca é a melhor para ele? A resposta para essa questão não é simples! Ela exige um entendimento aprofundado sobre o que motiva o consumidor a comprar.

Neste artigo, você vai entender melhor o que move as pessoas a escolher determinado produto no lugar de outro em um cenário com tantas alternativas disponíveis — entendimento essencial para qualquer empresa que queira estar à frente no mundo dos negócios!

Ele tem o poder na palma da mão

O consumidor contemporâneo tem várias opções de produtos em praticamente qualquer segmento do varejo e está bem preparado para lidar com as escolhas de compra por conta própria. As pessoas nunca estiveram tão informadas.

Com uma rápida busca online, ele tem acesso a dezenas de marcas que oferecem os itens que deseja. E mais: também pode conferir diversos reviews, comentários e opiniões de outros consumidores sobre cada produto.

Os celulares, principalmente, estão causando uma revolução no mercado, como já explicamos em detalhes no nosso post Entenda como a mobilidade está mudando o varejo.

O marketing tradicional perdeu boa parte do poder sobre o público contemporâneo, que já não quer alguém dizendo que ele precisa comprar alguma coisa. Afinal, ele pode conferir por conta própria todas as opções! É nesse ponto — entre diversos outros — que você pode usar a internet a seu favor.

Se o consumidor está em busca de informações completas, por que esperar que outras pessoas forneçam o que ele procura? Disponibilize você mesmo um material de qualidade sobre o seu mercado, como já sugerimos no post Saiba quais são os benefícios do marketing digital para o varejo!

A influência das redes sociais

Segundo a pesquisa Total Retail 2016, do network PwC, 56% dos consumidores brasileiros compram sob influência de comentários nas redes das marcas.

88% interagem com as marcas nas redes sociais — e 69% valorizam mais as empresas após ter contato com elas por esse meio. Afinal, o público já não se contenta em simplesmente adquirir alguma coisa. O que ele espera das marcas é bem mais do que produtos: são boas experiências de compra.

Isso envolve vários aspectos, como o atendimento e os valores da empresa (que contam cada vez mais, como você vai ver nos próximos tópicos!).

O preço ainda importa para ele — mas aliado a outros fatores

A pesquisa do PwC demonstra que o preço ainda é um fator determinante para o consumidor brasileiro. Mas ele não é o único grande influenciador da decisão de compra.

Quando foram questionados sobre o porquê de comprarem pela internet, por exemplo, 54% dos brasileiros afirmaram que escolhem fazer compras online porque elas costumam ser mais baratas. Mas, estatisticamente, as pessoas que escolhem esse método devido à conveniência não ficam tão atrás: são 41%.

No mercado global, as posições se invertem: 47% dos consumidores escolhem baseados na conveniência, enquanto 43% são mais influenciados pelo preço. Na China — que, segundo a pesquisa, é um termômetro para as principais tendências de consumo do mundo —, 62% das pessoas destacam a conveniência.

Isso é um sinal que o preço continua a importar muito — principalmente para a classe B brasileira, a pesquisa atestou. Mas ele não é o único fator determinante para alguém levar um produto para casa.

Os valores da empresa contam cada vez mais

Valores como sustentabilidade e responsabilidade social já não podem ser afirmados apenas “da boca para fora” pelas empresas. Justamente por estar muito bem informado, o consumidor contemporâneo — em particular da geração millennial — está de olho na postura das empresas na prática.

Não adianta se dizer sustentável, por exemplo, e vender produtos com embalagens não recicláveis. Ou declarar que preza pela praticidade e a embalagem ser difícil de abrir. O consumidor não acredita mais em meras palavras tão facilmente.

Ao mesmo tempo, palavras continuam sendo muito importantes para ele! Mas na forma de diálogo. Como já dissemos, a interação direta com as empresas nas redes sociais é bastante valorizada pelo público.

Ela é uma chance para você deixar claro como os seus valores são colocados em prática. Aproveite essa oportunidade para estabelecer uma conversa mais próxima com o consumidor. Responda às dúvidas com agilidade e transparência e compartilhe informações, seja nas redes sociais, por e-mail ou pessoalmente!

No fundo, o contato do público com a sua marca é de pessoa para pessoa — e ele já percebeu e aprecia isso.

Ele quer fazer parte de uma comunidade

A pesquisa Total Retail 2016 atestou que 93% dos consumidores brasileiros já fazem parte de um programa de fidelidade ou recompensa. Isso demonstra o desejo que as pessoas têm de fazer parte do que o estudo chama de comunidade.

O consumidor quer se sentir especial e ter vantagens palpáveis ao comprar um produto de determinada marca.

Os três fatores favoritos dos brasileiros nos programas de fidelidade são os descontos exclusivos, o acúmulo de pontos e o frete grátis. Mas eles também citaram gostar de ofertas personalizadas, acesso a áreas exclusivas e a eventos especiais.

Os programas de fidelidade funcionam muito bem, especialmente para os pequenos varejistas — como já explicamos no post Empreendedor do varejo: 5 tendências para ficar de olho em 2017.

Depois de revisarmos todos esses atributos, fica claro que uma das principais características do público do varejo é a independência. Ele tem vários produtos à disposição e informações para fazer as melhores escolhas é o que não falta!

Por isso, é fundamental você se manter atualizado sobre as tendências do mercado e as mudanças constantes do perfil do consumidor, além de atualizar a sua própria empresa na mesma velocidade!

Quer uma dica? A mudança passa pela tecnologia! Confira como no nosso post Qual é a importância da automação comercial no varejo?